Show simple item record

dc.contributor.authorCardozo, Ana Lúcia Paz
dc.coverage.spatialPlanície de inundação do alto rio Paraná - Brasil.en_US
dc.coverage.spatialUpper Paraná River floodplain - Brazil.en_US
dc.coverage.spatialBrasilen_US
dc.coverage.spatialBrazilen_US
dc.date.accessioned2024-06-04T14:06:04Z
dc.date.available2024-06-04T14:06:04Z
dc.date.issued2024
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1834/43144
dc.description.abstractPlastics are pervasive contaminants worldwide, accumulating from the poles to the equator, spanning pristine environments to deep ocean basins.This workexplores how seasonal variations in a floodplain influence the ingestion of plastics by freshwater fish and systematically examines trends and gaps in Brazilian research related to plastic pollution.Additionally, the potential relationship between anthropogenic activities and the amounts of plastic found in Brazilian aquatic environmentswas investigated.Among the 23 fish species analyzed in the Upper Paraná River floodplain, nine were ingested plastics, and the particles were associated with fishingactivity and domestic waste. Seasonality played a crucial role in the amounts of plastic ingested by these species, with the highest number of particles recorded during the wet season. As for trends and gaps in Brazilian research on plastic pollution, a substantial number of publications related to marine environments, microplastics, and fishwas identified. Conversely, freshwater environments and invertebrates are underexplored.Considering the distribution of studies within Brazilian biomes, the Pantanaland Cerrado had the lowest number of publications—an alarming trend considering the significant rivers and basins they house.Finally, themodels were unable to find strong and significant correlations between the number of plastics and anthropogenic activities in Brazilian municipalities.The lack of significant relationships may be attributed to the limitations of our dataset, specificallydue to the low number of studies.Nevertheless, other factors influenced the quantities of plastic detected.In biotic samples, the number of ingested plastics was influenced by the animal group, with reptiles, birds, and fish being the most affected groups. For abiotic samples, the type of environment emerged as a significant factor.In sediment samples, the quantity of plastics was higher in estuarine and freshwater environments. In water samples, the quantity of plastics was higher exclusively in freshwater environments.The finds of this workcontribute to new research on plastic pollution in Brazilian aquatic environments, expanding theunderstanding of the dynamics of plastics in freshwater environments and their interaction with various organisms.
dc.description.abstractPlásticos são contaminantes onipresentes no planeta, acumulando-se dos polos ao equador, desde ambientes pristinos em grandes altitudes até bacias oceânicas profundas. Investigou-se como a ingestão de plásticos por peixes de água doce é influenciada pelas variações sazonais de uma planície de inundação, bem como as tendências e lacunas da pesquisa brasileira em relação a poluição plástica. Investigou-se também a possível relação entre atividades antropogênicas e as quantidades de plástico encontradas nos ambientes aquáticos brasileiros. Das 23 espécies de peixes analisadas na planície de inundação do alto rio Paraná, nove ingeriram plásticos, e as partículas encontradas são associadas com a atividade pesqueira e o lixo doméstico. A sazonalidade promovida pelo ciclo hidrológico desempenhou um papel importante nas quantidades de plásticos ingeridas por essas espécies, onde o maior número de partículas foi registrado durante o período de cheias. Em relação as tendências e lacunas da pesquisa brasileira sobre a poluição plástica, encontrou-se um grande número de publicações para ambientes marinhos, microplásticos e peixes. Ambientes de água doce e invertebrados permanecem pouco estudados no país. Considerando a distribuição dos estudos dentro dos biomas brasileiros, Pantanal e Cerrado foram os biomas com o menor número de publicações, um fato preocupante visto os importantes rios e bacias que estes abrigam. Por fim, os modelos não encontraram correlações entre a quantidade de plásticos e as atividades antropogênicas dos municípios brasileiros. A ausência dessas relações pode estar relacionada às limitações do conjunto de dados, especificamente devido ao baixo número de estudos com dados disponíveis. Entretanto, outros fatores influenciaram as quantidades de plásticos encontradas. Em amostras bióticas, o número de plásticos ingeridos esteve associado ao grupo animal, sendo os répteis, aves e peixes os mais afetados. Para amostras abióticas, o tipo de ambiente foi um fator influente. Em amostras de sedimento o número de plásticos foi maior para ambientes estuarinos e de água doce. Para as amostras de água, o número de plásticos foi maior apenas para ambientes de água doce. Devido aos efeitos negativos da poluição plástica e à importância econômica e ecológica das espécies afetadas, os resultados desse estudo representam um passo importante na avaliação dos impactos gerados nas populações de peixes de água doce pela ingestão de plásticos. Espera-se que estes resultados contribuam para o direcionamento de novas pesquisas em relação a poluição plástica nos ambientes aquáticos brasileiros, e que estes estudos expandam nosso conhecimento sobre a dinâmica dos plásticos em ambientes de água doce, assim como sua interação com diferentes organismos.
dc.language.isoenen_US
dc.publisherUniversidade Estadual de Maringá. Departamento de Biologia. Programa de Pós-Graduação em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais.en_US
dc.relation.urihttp://nou-rau.uem.br/nou-rau/document/?code=4586en_US
dc.relation.urihttp://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/7591en_US
dc.subject.otherOrganismos de água doceen_US
dc.subject.otherPeixes de água doceen_US
dc.subject.otherEcossistemas aquáticos de água doceen_US
dc.subject.otherIngestão de plásticosen_US
dc.subject.otherPoluição aquáticaen_US
dc.subject.otherPlásticosen_US
dc.subject.otherImpactos ambientaisen_US
dc.subject.otherImpactos antropogênicosen_US
dc.subject.otherRevisão sistemáticaen_US
dc.titleAssessing plastic pollution in Brazilian aquatic ecosystems:an integrated study of pollution in organisms and environments.en_US
dc.title.alternativeAvaliando a poluição plástica em ecossistemas brasileiros: um estudo integrado da poluição em organismos e ambientes.en_US
dc.typeThesis/Dissertationen_US
dc.description.degreePhDen_US
dc.format.pages106pp.en_US
dc.subject.asfaASFA_2015::F::Freshwater fishen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::F::Freshwater ecologyen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::O::Organisms (aquatic)en_US
dc.subject.asfaASFA_2015::A::Aquatic ecologyen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::E::Ecosystemsen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::P::Pollutionen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::E::Environmental impacten_US
dc.subject.asfaASFA_2015::A::Anthropogenic effectsen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::S::Systematicsen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::P::Plasticsen_US
dc.subject.asfaASFA_2015::L::Literature reviewsen_US
refterms.dateFOA2024-06-04T14:06:05Z
html.description.abstractPlastics are pervasive contaminants worldwide, accumulating from the poles to the equator, spanning pristine environments to deep ocean basins.This workexplores how seasonal variations in a floodplain influence the ingestion of plastics by freshwater fish and systematically examines trends and gaps in Brazilian research related to plastic pollution.Additionally, the potential relationship between anthropogenic activities and the amounts of plastic found in Brazilian aquatic environmentswas investigated.Among the 23 fish species analyzed in the Upper Paraná River floodplain, nine were ingested plastics, and the particles were associated with fishingactivity and domestic waste. Seasonality played a crucial role in the amounts of plastic ingested by these species, with the highest number of particles recorded during the wet season. As for trends and gaps in Brazilian research on plastic pollution, a substantial number of publications related to marine environments, microplastics, and fishwas identified. Conversely, freshwater environments and invertebrates are underexplored.Considering the distribution of studies within Brazilian biomes, the Pantanaland Cerrado had the lowest number of publications—an alarming trend considering the significant rivers and basins they house.Finally, themodels were unable to find strong and significant correlations between the number of plastics and anthropogenic activities in Brazilian municipalities.The lack of significant relationships may be attributed to the limitations of our dataset, specificallydue to the low number of studies.Nevertheless, other factors influenced the quantities of plastic detected.In biotic samples, the number of ingested plastics was influenced by the animal group, with reptiles, birds, and fish being the most affected groups. For abiotic samples, the type of environment emerged as a significant factor.In sediment samples, the quantity of plastics was higher in estuarine and freshwater environments. In water samples, the quantity of plastics was higher exclusively in freshwater environments.The finds of this workcontribute to new research on plastic pollution in Brazilian aquatic environments, expanding theunderstanding of the dynamics of plastics in freshwater environments and their interaction with various organisms.en_US
html.description.abstractPlásticos são contaminantes onipresentes no planeta, acumulando-se dos polos ao equador, desde ambientes pristinos em grandes altitudes até bacias oceânicas profundas. Investigou-se como a ingestão de plásticos por peixes de água doce é influenciada pelas variações sazonais de uma planície de inundação, bem como as tendências e lacunas da pesquisa brasileira em relação a poluição plástica. Investigou-se também a possível relação entre atividades antropogênicas e as quantidades de plástico encontradas nos ambientes aquáticos brasileiros. Das 23 espécies de peixes analisadas na planície de inundação do alto rio Paraná, nove ingeriram plásticos, e as partículas encontradas são associadas com a atividade pesqueira e o lixo doméstico. A sazonalidade promovida pelo ciclo hidrológico desempenhou um papel importante nas quantidades de plásticos ingeridas por essas espécies, onde o maior número de partículas foi registrado durante o período de cheias. Em relação as tendências e lacunas da pesquisa brasileira sobre a poluição plástica, encontrou-se um grande número de publicações para ambientes marinhos, microplásticos e peixes. Ambientes de água doce e invertebrados permanecem pouco estudados no país. Considerando a distribuição dos estudos dentro dos biomas brasileiros, Pantanal e Cerrado foram os biomas com o menor número de publicações, um fato preocupante visto os importantes rios e bacias que estes abrigam. Por fim, os modelos não encontraram correlações entre a quantidade de plásticos e as atividades antropogênicas dos municípios brasileiros. A ausência dessas relações pode estar relacionada às limitações do conjunto de dados, especificamente devido ao baixo número de estudos com dados disponíveis. Entretanto, outros fatores influenciaram as quantidades de plásticos encontradas. Em amostras bióticas, o número de plásticos ingeridos esteve associado ao grupo animal, sendo os répteis, aves e peixes os mais afetados. Para amostras abióticas, o tipo de ambiente foi um fator influente. Em amostras de sedimento o número de plásticos foi maior para ambientes estuarinos e de água doce. Para as amostras de água, o número de plásticos foi maior apenas para ambientes de água doce. Devido aos efeitos negativos da poluição plástica e à importância econômica e ecológica das espécies afetadas, os resultados desse estudo representam um passo importante na avaliação dos impactos gerados nas populações de peixes de água doce pela ingestão de plásticos. Espera-se que estes resultados contribuam para o direcionamento de novas pesquisas em relação a poluição plástica nos ambientes aquáticos brasileiros, e que estes estudos expandam nosso conhecimento sobre a dinâmica dos plásticos em ambientes de água doce, assim como sua interação com diferentes organismos.en_US


Files in this item

Thumbnail
Name:
Cardozo-Ana Lucia Paz-2024-DO.pdf
Size:
2.327Mb
Format:
PDF

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record